Monday, November 29, 2021
HomeEsportes motorizadosO calendário de final de temporada da F1 é "estranho", diz Alonso

O calendário de final de temporada da F1 é “estranho”, diz Alonso

A F1 está rumando para sua segunda corrida da tripla cabeçada México-Brasil-Qatar neste fim de semana, com os chefes das corridas de Grande Prêmio tendo optado por uma ambiciosa competição intercontinental de três eventos no salto.

Com a viagem e a tensão neste final de temporada levando a resistência do pessoal da F1 ao limite, Alonso sugere que é um pouco estranho ter um intervalo de duas semanas entre os Estados Unidos e o México, e depois ir para os três corridas consecutivas.

“Este triplo cabeçalho não é o mais conveniente”, explicou o piloto da Alpine antes de deixar o México. “Cada corrida é separada por 12 horas [on a] avião ou algo parecido. E temos que correr três fins de semana consecutivos.

“É importante para a equipe, para os mecânicos economizarem energia. Eles estão na garagem, empacotando tudo, vão acabar atrasados, vão pegar um avião, vão chegar no Brasil, vão empacotar tudo e montar a garagem. está no limite para eles, com certeza.

“Esperamos encontrar melhores soluções para o calendário, porque Austin fica a uma hora e meia do México. E estávamos há duas semanas em Austin.

“É estranho que algumas corridas estejam separadas por duas semanas e algumas das corridas que estão em outro continente sejam consecutivas.”

Embora a decisão de ter um longo intervalo entre Austin e o México pareça incomum, foi originalmente feita dessa forma devido a preocupações com as restrições de viagens devido à pandemia de COVID.

Na época em que o cronograma foi definido, tanto o México quanto o Brasil estavam na lista vermelha do Reino Unido de países que exigiam quarentena obrigatória no retorno, algo que poderia ser problemático para as equipes.

Ao hospedar Brasil e México consecutivamente, com o Qatar depois, significava que o pessoal da F1 poderia ter evitado a restrição de quarentena quando retornassem do Oriente Médio.

No final, o Reino Unido abandonou as restrições da zona vermelha para que as equipes de F1 não tivessem problemas em retornar ao Reino Unido depois do México ou do Brasil.

Os desafios do calendário atual surgem em meio à tentativa da F1 de aumentar a programação no futuro, algo que tem causado bastante desconforto em certas seções do paddock.

Lance Stroll, da Aston Martin, pensa que é importante que a F1 considere o tempo de inatividade para a equipe, e não se limita a aumentar as corridas sem se preocupar com as consequências.

“Eu entendo que há um motivo financeiro para aumentar o número de corridas e expandir o esporte”, disse ele.

“Mas acho que tem que haver um equilíbrio pensando nos mecânicos, nos engenheiros e em todo o pessoal da Fórmula 1, que tem família em casa, que viaja pelo mundo e dedica muito do seu tempo para as corridas.

“Eu acho que ainda tem que haver um equilíbrio onde a F1 faz uma pausa e dá uma chance para as pessoas irem para casa, ver suas famílias, passar algum tempo fazendo outras coisas, e então voltamos e levamos as corridas muito a sério.

“Não acho que deveria se tornar ridículo 25 temporadas do calendário de corridas. Parece que está indo nessa direção, mas acho que a F1 também deve pensar no pessoal e em suas famílias.”

source – www.motorsport.com

Prashanth R
Hi thanks for visiting Asia First News, I am Prashanth I will update the daily Sports News Here, for any queries related to the articles please use the contact page to reach us. :-
ARTIGOS RELACIONADOS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Mais popular

x