Friday, January 14, 2022
HomeEsportes motorizadosO que a Mercedes faria se Lewis Hamilton saísse da F1?

O que a Mercedes faria se Lewis Hamilton saísse da F1?

Já se passou mais de um mês desde o controverso final do Grande Prêmio de Abu Dhabi e ainda não sabemos se Lewis Hamilton retornará à Fórmula 1 nesta temporada.

As especulações em torno do futuro de Hamilton são abundantes desde o controverso final da temporada de 2021, no qual ele perdeu o campeonato para Max Verstappen na última volta, depois que o diretor de corrida da FIA, Michael Masi, não seguiu o procedimento correto do Safety Car.

Além de uma referência enigmática durante uma entrevista com Jenson Button imediatamente após o GP de Abu Dhabi, Hamilton não falou publicamente sobre o assunto, nem postou em nenhuma de suas contas de mídia social nas semanas que se seguiram.

Hamilton foi descrito como “desiludido” após a final de 2021, de acordo com seu chefe de equipe da Mercedes, Toto Wolff, que não podia garantir que seu piloto voltaria para lutar pelo oitavo título mundial este ano.

A conversa ressurgiu nas manchetes nesta semana depois que uma reportagem da BBC sugeriu que o futuro de Hamilton poderia depender dos resultados de uma investigação da FIA sobre os eventos das voltas finais em Abu Dhabi.

Se o sete vezes campeão mundial deixar a F1, isso daria à Mercedes uma grande dor de cabeça na véspera da nova temporada que teria sombras da aposentadoria bombástica de Nico Rosberg depois de ganhar o título mundial de 2016.

A Mercedes comprou Valtteri Bottas de seu contrato com a Williams para substituir o alemão, mas é menos óbvio como os atuais campeões mundiais responderiam se a história se repetisse.

Em meio à incerteza, demos uma olhada hipotética em quais opções a Mercedes poderia ter disponível se Hamilton – que tem contrato até o final de 2023 – decidisse se afastar da F1.

Valtteri Bottas

Com George Russell saindo da Williams, a Mercedes certamente gostaria de um piloto experiente para fazer parceria com o britânico de 22 anos se Hamilton deixasse seu lugar.

Se fosse esse o caso, eles não deveriam procurar mais do que Bottas. O finlandês é uma quantidade conhecida da Mercedes, que tem cinco anos de experiência dirigindo para a equipe entre 2017 e 2021, tornando-o um candidato óbvio e talvez a escolha mais segura.

Facilitar essa inversão de marcha seria difícil, uma vez que Bottas se comprometeu com um contrato de vários anos com a Alfa Romeo. É difícil imaginar que a seleção suíça estaria disposta a se desfazer de sua nova assinatura de declaração. Certamente apenas uma grande oferta mudaria essa postura.

A Mercedes poderia tentar resolver esse dilema de dentro, movendo seu campeão de Fórmula E Nyck de Vries ou seu companheiro de equipe e reserva Stoffel Vandoorne para a categoria totalmente elétrica.

No ano passado, de Vries estava ligado à Williams que acabou seguindo o caminho de Alex Albon. O holandês é muito admirado na Mercedes e tem experiência em testar o carro de 2021 da equipe, enquanto Vandoorne já correu na F1 pela McLaren.

No entanto, uma mudança para de Vries ou Vandoorne deixaria a Mercedes enfrentando um dilema de piloto semelhante para seu programa de FE antes do início da nova temporada no final deste mês.

O ex-piloto júnior e reserva da Mercedes, Esteban Ocon, desfrutou de um excelente 2021 ao se defender contra o companheiro de equipe Alpine Fernando Alonso e conquistou de forma impressionante a primeira vitória de sua carreira na F1 na Hungria.

O francês foi recompensado por suas performances com um novo contrato com a Alpine, que vai até o final de 2024, mas a Mercedes poderia negociar um acordo para recuperar seu ex-protegido. Isso liberaria uma vaga para o jovem alpino Oscar Piastri, que ficou à margem da F1 em 2022, apesar de ter sido coroado campeão da F2.

A porta parece firmemente fechada no retorno à F1 para Nico Hulkenberg, que correu pela última vez em tempo integral em 2019 com a Renault. Uma saída de Hamilton pode fornecer a Hulkenberg uma tábua de salvação e uma chance há muito esperada de se provar em máquinas de vanguarda.

O alemão de 34 anos é extremamente experiente e teve um desempenho admirável em suas três aparições como substitutos pela Racing Point em 2020, enquanto também conduziu corridas de simulador com o carro de 2022. Hulkenberg seria um par de mãos sólido e seguro e pilotar para a Mercedes certamente lhe daria a chance de encerrar seu recorde indesejado de mais largadas na F1 sem terminar no pódio.

O futuro de Pierre Gasly após o final da temporada de 2022 é desconhecido e o francês de 25 anos está desesperado para ter outra chance de se provar na frente do grid depois de estrelar o AlphaTauri desde seu rebaixamento da Red Bull no meio do 2019 temporada.

Agora um vencedor do grande prêmio e vários pódios, Gasly está florescendo no papel de líder de equipe na AlphaTauri e oferecendo um alto nível de desempenho consistente. Com a Red Bull continuando a ignorá-lo, uma mudança para a Mercedes permitiria a Gasly liberar todo o seu potencial e talvez até realizar seu sonho na F1.

Se a Mercedes fosse forçada a comprar outro piloto fora de seu contrato atual, Lando Norris deveria estar no topo da lista de desejos. O britânico de 22 anos continua se fortalecendo e impressionado com uma excelente campanha de 2021 para a McLaren, destacando por que ele é considerado o verdadeiro negócio por muitos no paddock.

Uma formação composta por dois dos mais brilhantes talentos da nova geração de pilotos da F1, Norris e Russell, seria uma perspectiva de dar água na boca para a Mercedes, preparando a equipe para o presente e o futuro. Mas não há como a McLaren estar disposta a permitir que seu principal piloto saia.

Uma escolha ligeiramente à esquerda para a Mercedes poderia ser Sebastian Vettel. Wolff anteriormente não descartou uma investida para Vettel depois que o tetracampeão mundial ficou disponível quando a Ferrari decidiu não renovar seu contrato no final de 2020.

Mesmo aos 34 anos e talvez com seus melhores dias atrás dele, Vettel ainda seria uma contratação de primeira linha para a Mercedes e, como alemão, ele teria um apelo comercial e comercial óbvio. Talvez Wolff ficasse tentado a ligar para seu bom amigo e proprietário da Aston Martin Lawrence Stroll…

Fernando Alonso

Provavelmente a opção mais irreal da nossa lista. Ainda não se sabe se o drama da infame passagem de Alonso em 2007 na McLaren com motor Mercedes é totalmente água sob a ponte, e o espanhol tem a reputação de ser uma espécie de destruidor de carreiras.

É improvável que a Mercedes queira arriscar potenciais fogos de artifício ao colocar Alonso ao lado de Russell, mas o bicampeão mundial pode ser mais atingível do que outros pilotos, já que ele será um agente livre no final do ano.

Alonso provou em seu retorno à F1 que ainda tem a magia e continua sendo um dos melhores do ramo, mesmo sendo o piloto mais velho que resta no grid. Assemelhando-se a uma escolha de fantasia, imagine Alonso lutando pelo terceiro título mundial indescritível em uma Mercedes.

.

source – www.crash.net

Prashanth R
Hi thanks for visiting Asia First News, I am Prashanth I will update the daily Sports News Here, for any queries related to the articles please use the contact page to reach us. :-
ARTIGOS RELACIONADOS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Mais popular

x